sábado, 26 de outubro de 2013



Sovietização ou estupidez ?

Este texto de hoje é triste. Triste e complicado. Há que fazer exercícios de profunda  imaginação para se acreditar. Mas tudo quanto vai escrito é verdade. Jamais nalgum dos meus escritos existiu mentira. Pode ter havido enganos. Mentiras, NÃO.
Há duas formas de revolução: com tiros, bombas, etc., ou pela calada, sem que o povo – besta – se aperceba, e que acaba asfixiado, e morto, como os que morrem com falta de oxigénio! O cérebro deixa de pensar, de agir, e... já era.
Aqui, no país do samba (para exportação), do futebol e caipirinha, onde o povo não sabe votar, nem por que vota, e é obrigado a isso para que os demagogos consigam mais votos, a “moda” agora é enaltecer todos os revolucionários, sem, obviamente, esquecer um dos mais covardes que se chamou che guevara, e que os idiotas pensam que lutou pela libertação dos povos! Vê-se bem a liberdade dos cubanos. Só dos que sobraram, porque dúzias deles o mesmo “glorioso libertador” assassinou com tiros na nuca quando os não adeptos estavam nas prisões.
Agora é uma escola que vai ser toda remodelada, modernizada, etc., e tem o nome de olga benário, uma comunista que foi posta às ordens do secretário do partido comunista dos sovietes no Brasil e para aqui veio praticar o que lhe tinham ensinado: sabotagem e terrorismo. Alemã e judia, Getúlio mandou-a de volta, com cumprimentos, aos nazis.
O que me parece que este des-governo devia incentivar duma vez por todas era a troca de nomes de todas as escolas: tirar Machado de Assis, Gonçalves Dias, Pichinguinha, e outros que engrandeceram o país e destacar aqueles que esta canalha ainda insiste em “amar” e a quem presta contas.
Deveriam chamar às escolas e às faculdades de cursos políticos, Josef Stalin, Mao Tsé Tung, Pol Pot, Adolf Eichman e Adolf Hitler (que também tiveram milhões de cegos seguidores), e alguns mais atuais como o caridoso Omar Hassan Ahmad al-Bashir aquele garotão do Sudão que mata mais que cancer e malária, sem esquecer a família King Kong da Coreia do Norte – Kim du Bong, Kim II Sung, Kim Jung II e Kim Jong un, chamados Grande Líder, Estimado Líder, Querido Líder, Grande Sucessor, todos grandessissimos... E, porque não Bin Laden, George Bush, Chavez, Kaddafi e “similares”? Quase esquecia Robespierre o homem que gostava tanto da guilhotina que para lá mandou milhares e onde acabou também com a cabeça fora dos ombros!
Aqui um dos poços de petróleo já foi batizado de “lula”, o nome de um indivíduo que só atrasou a exploração do ouro negro em mais de dez anos, e está a levar o país para um marxismo doentio, mas um marxismo que tem o seu quê de liberalismo, sem o qual os urubus não poderiam continuar a encher os bolsos como até hoje.
O STJ, o quase, quase famoso supremo tribunal federal, esteve para dar uma grande lição a essa banditagem. E ao mundo. Mas... acontece que dos seus onze membros, nove foram lá postos, cuidadosamente escolhidos pelo PT. E desses nove só um foi capaz de sacudir o jugo dos “patrões” e ter-se portado de tal modo que é hoje o homem mais admirado no Brasil.
O resto vai acabar por absolver os principais cabecilhas do grande golpe, o tal mensalão. São pagos para isso.
Mas tudo isto interessa pouco porque o governo vai receber só dos novos campos de petróleo, um monte de milhões! Poços esses que talvez, talvez comecem a produzir daqui a cinco anos.
E até lá com 45% do orçamento anual comprometido para pagar juros e parte (que parte?) da dívida pública, porque os bancos não perdoam nem ao governo, o que sobra é miséria, como por exemplo só 4% para educação.
Quando se poderia imaginar que o governo financiasse os estados cobrando juros sobre juros? O escândalo é de tal ordem que não se acredita.
Por exemplo: Minas Gerais recebeu, em 1998, um financiamento de R$ 18,5 bilhões, e desde o começo vem pagando regularmente as parcelas. Mas... se o juro cobrado fosse o da taxa básica, MG não só teria liquidado já toda a dívida como teria um saldo a seu favor de mais de R$ 1,5 bilhões. Acontece que, com a manobra do des-governo federal os juros básicos foram acrescidos de vários pontos percentuais e hoje o Estado de Minas Gerais está ainda endividado, do mesmo financiamento, mas quase R$ 67 bilhões. Quer dizer que além de ter pago tudo, ao fim de quinze anos deve 3,5 vezes mais do que recebeu!
Com a fobia de nada privatizar, apesar de se ir privatizando tudo quanto aparece, mesmo ouvindo o rugido dos ultra comunas, o atual des-governo já vendeu a capitais estrangeiros 30%, trinta por cento, do capital do Banco do Brasil!
Deu para entender? É difícil, mas é a realidade. E como não é só o Banco do Brasil mas TODOS os bancos que participam desse financiamento, o enriquecimento destes, no Brasil é astronômico, e ainda tem um aspeto curioso: os estados podem ser financiados por bancos estrangeiros, como Deutsche Bank, HSBC, etc, que assim mamam à custa do país, e mandam dinheiro para fora.
A máquina federal é um antro, e a continuar como está, apesar das futuras miragens petrolíferas, não tarda estaremos iguais à Venezuela onde até papel higiénico é item raro!
Para quem se interessar por estas situações de crise, de desastre à vista, na perspectiva do sovietização pode ver o seguinte vídeo:
video

E se quiser fazer um exercício de in...compreensão das finanças públicas, acesse o link
Ou está tudo louco, ou sou eu que já não sei o que é sanidade ou se os meus miolos fugiram para outro planeta.


Nenhum comentário:

Postar um comentário